MATOU PAI E FILHO | Preso na Argentina, criminoso foi levado pelos pais até lá

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (23) sobre o caso do latrocínio, que vitimou pai e filho, em Estância Velha, no mês de abril. No último sábado (18), Davi dos Santos Mello de 20 anos, foi preso na Argentina.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Polícia de Estância Velha, Marcio Niederauer, a polícia argentina recebeu uma denúncia anônima de que um foragido a justiça brasileira estava chegando no país. “Ele estava indo de El Soberbo para São Vicente. O interessante da denúncia, é que ela detalhou que Davi estava em um táxi, e deu até as características do veículo, um peugeot prata”, comentou.

Com as informações, os policiais montaram uma barreira no limite da cidade e abordaram o veículo. Davi era um dos passageiros. Como estava sem documentos, ele foi identificado pelas digitais. “O pessoal entrou em contato com a delegacia de Três Passos, que acionou o Instituto Geral de Perícias (IGP), para que a identificação fosse feita na hora”, ressaltou.

Davi não estava sozinho. Além dele, estava o filho, a esposa e o tio. Este mora na Argentina, e agora a polícia acredita que o objetivo do foragido era de se esconder na casa do familiar. Não se há detalhes de por onde o criminoso esteve até o dia da prisão. Porém, o que se sabe, é que ele foi levado até a fronteira pelos pais.

A coletiva de imprensa foi realizada no auditório da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de São Leopoldo (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

O brasileiro preso na Argentina no último sábado (18), suspeito de participar do assalto que terminou com a morte de pai e filho em Estância Velha, no Vale do Sinos, estava com a companheira, o filho e um tio argentino no momento da prisão. O crime aconteceu em 10 de abril. O delegado titular da DP de Estância Velha, Marcio Niederauer, acredita que Davi dos Santos Mello, 20 anos, tinha intenção de se refugiar na casa do parente, na tentativa de se esconder da investigação.

Depois de ficar em Foz do Iguaçu na carceragem da Polícia Federal (PF), Davi chegou na madrugada desta quinta-feira (23) a São Leopoldo. Ele deve prestar depoimento ainda hoje e depois será encaminhado para o sistema prisional. Até o momento, nenhum advogado se apresentou para fazer a defesa.

Ainda sobre o crime, o delegado Niederauer, informou que o inquérito deve ser concluído até o dia 1º de junho. “Vamos indiciar mais algumas pessoas por participação nele. Porém, agora, não posso dar mais detalhes sobre isso”, comentou.

Um já estava preso

O outro apontado como autor do crime, Rafael Santos Domingues de 19 anos, está preso desde 23 de abril. Segundo a Brigada Militar (PM), ele estava com a companheira, escondido na casa da mulher de um traficante, em Portão, e, ao perceber a chegada dos policiais, tentou escapar. Ele também era considerado foragido da Justiça.

Antecedentes

Davi já era conhecido da polícia. Condenado por roubo a mão armada em outra ocasião, ele deveria ser vigiado por meio de tornozeleira eletrônica, que não chegou a ser instalada.

Assalto

O crime aconteceu no dia 10 de abril. Na ocasião, Davi e Rafael, assaltaram uma joalheira no centro de Estância Velha. Ambos dispararam contra Leomar Jacó Canova de 59 e Luis Fernando Canova de 35 anos. Pai e filho eram proprietários do local.

Agência GBC

Em Agência GBC, você encontra notícias de Canoas, da região e do RS, prestação de serviço, áudios, vídeos e muito mais.