FOTO: Polícia Civil/Divulgação

FOTO: Polícia Civil/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil prendeu um homem de 54 anos condenado por ter matado a esposa grávida e o sogro em 1992, em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Foragido desde março, João Gonçalves dos Santos foi encontrado em uma residência na manhã desta quinta-feira (23), no bairro Ipiranga, em Sapucaia do Sul.

 Santos havia sido preso em 2011 e progrediu do regime fechado para o semiaberto em 2015, vivendo em Esteio. Desde então, utilizava tornozeleira eletrônica. Em março de 2017, o homem saiu do raio permitido e monitorado pela tornozeleira eletrônica e se abrigou em Sapucaia do Sul.

Conforme informações do titular Delegacia de Capturas, do Departamento Estadual de Investigações Criminais, delegado Arthur Raldi, o homem se mostrou surpreso ao ser detido e minimizou o crime. “Na viatura, ele veio conversando conosco e disse que tem tanto bandido solto por aí e que a gente foi atrás dele. Ele também falou que o duplo homicídio apenas resolveu uma “questão de família”, conta o delegado.

O delegado comemorou a prisão, já que o homem havia sido procurado em diversos endereços e este seria o último esconderijo em que ele poderia ser localizado.

O crime

O duplo homicídio aconteceu em fevereiro de 1992, no bairro Santo Inácio, em Esteio. Santos chegou ao bar do então sogro, Alencastro Camboim, e começou a beber. Pouco depois, sacou uma espingarda de caça que estava amarrada no cano de sua bicicleta e atirou contra o a vítima. A companheira Sandra Camboim, que também estava no bar, começou a correr, com a filha no colo. O homem atirou novamente e atingiu a mulher. A criança conseguiu escapar.

O crime foi motivado porque Sandra, que estava grávida de João, queria o fim do relacionamento. Ele buscava manter a relação, mas não queria ter o filho.