Foto: Franciele Lorenzett / Câmara Municipal

Da redação | O líder do governo de Daniel Guerra (PRB) na Câmara de Caxias do Sul, Chico Guerra (PRB), admitiu nesta terça-feira a veracidade de um áudio em que diz ser preciso dar um “corretivo” no presidente do bairro Cânyon, Marciano Correa da Silva. Na gravação, o vereador conversa com o ex-titular da Coordenadoria de Relações Comunitárias da Prefeitura, Rafael Bado. A conversa teria ocorrido no fim do ano passado.

O republicano alega que o líder comunitário precisava de um “corretivo”, pois estava “batendo que nem louco no governo”. Chico Guerra propôs o corte de “qualquer benfeitoria” ao bairro, para que Marciano “sentisse na pele” as consequências por ser contra o governo.

A gravação foi amplamente divulgada na manhã desta quarta-feira, durante sessão ordinária do Legislativo, pelo vereador Rafael Bueno (PDT). Ele reproduziu um vídeo, postado em conta no YouTube do vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (Avante), com os comentários.

Ouça abaixo:

Em defesa, Chico Guerra disse que Marciano o teria ameaçado de morte em uma das sessões da Câmara. Mesmo reconhecendo a veracidade do áudio, o líder de governo disse que a comunidade do Cânyon não foi comprometida.

Marciano negou as ameaças contra o republicano e disse que registrou boletim de ocorrência contra ele.

O vice-prefeito, que possui divergências com o prefeito Daniel Guerra, encaminhou à Comissão de Ética uma representação em que sugere a cassação do mandado de Chico Guerra.