PRF

Foto: reprodução/ PRF/ divulgação

Da redação | A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu em flagrante na tarde de terça-feira (8), em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba (PR), o motorista de um caminhão que dirigia sob efeito de cocaína na BR-116, entre Curitiba e São Paulo (SP). O condutor, um homem de 23 anos, é morador de Caxias do Sul, na Serra gaúcha.

Segundo a PRF, o veículo, um Ford Cargo, saiu do Rio Grande do Sul com destino à São Paulo, transportando uma carga de batatas. Policiais que faziam ronda na Rodovia Régis Bittencourt, na pista sentido São Paulo, foram avisados por populares sobre o caminhão, que transitava em zigue-zangue.

Além disso, o caminhoneiro ameaçava os demais tripulantes de caminhões e automóveis. O motorista realizava mudanças de faixa repentinas, forçando os outros veículos a desviarem para evitar um acidente.

Quando a viatura da PRF se aproximou, o homem desobedeceu as ordens de parada, fazendo inclusive manobras intencionais. Cerca de 16 km depois, ele fez o retorno e seguiu em direção a Curitiba.

Devido ao risco de acidentes, os policiais efetuaram disparos na direção dos pneus do caminhão. Mesmo com cinco pneus perfurados, o condutor seguiu em fuga, que totalizou 63 km. Alguns dos pneus se desmancharam por completo, e as rodas se arrastavam no asfalto.

Com apoio de um helicóptero da PRF e de outros policiais rodoviários federais e equipes da Polícia Militar, foi montada então uma barreira em frente à Unidade Operacional Taquari.

Quando avistou o bloqueio, o caminhoneiro ainda tentou fazer o retorno e acessar a pista contrária, mas acabou por parar sobre o canteiro central.

Ele se recusou a sair da cabine do caminhão e resistiu à prisão de forma agressiva, se debatendo, chutando e tentando agredir os agentes. Foram necessários seis policiais para prendê-lo.

O preso responderá pelos crimes de conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada por substância psicoativa que determine dependência, direção perigosa, desobediência e resistência à prisão.

Aos policiais rodoviários, o homem admitiu ser usuário de cocaína há cerca de dois anos. Dentro da cabine, sob uma folha de papel, foi localizada uma pequena quantidade de substância análoga à cocaína.