FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Foto: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | A Prefeitura de Canoas agiu imediatamente assim que recebeu uma denúncia de que havia materiais coletados para exames de cerca de 400 pacientes parados no Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG). A Vigilância em Saúde foi até o hospital ainda na última terça-feira (29), pouco depois do recebimento da denúncia, para verificar a procedência da informação. No local, os fiscais da Prefeitura de Canoas confirmaram que havia materiais biológicos armazenados há pouco mais de dois meses, sem conclusão do exame de biópsia.

O local foi interditado pela Vigilância em Saúde do Município e só será reaberto após a conclusão das melhorias exigidas feitas pela Prefeitura. As adequações necessárias incluem a compra de um micrótomo e melhorias estruturais no laboratório. Conforme o HNSG, a compra do micrótomo já foi realizada e o aparelho deve chegar no dia 11 de fevereiro. As demais melhorias podem levar cerca de 15 dias para serem finalizadas.

Todos os materiais biológicos encontrados no laboratório do HNSG foram levados para o Hospital Universitário (HU), que conta com uma estrutura adequada para a realização dos exames. Todos os materiais que estavam no HNSG passarão pelo processo de análise do laboratório do HU. Os funcionários do laboratório do HNSG foram cedidos ao HU para dar andamento ao trabalho de análise dos materiais.

Situação do Hospital Nossa Senhora das Graças

Desde 2017, quando assumiu a Prefeitura de Canoas, a atual Administração realizou diversas tentativas de auxiliar o HNSG a qualificar a gestão, afim de superar a crise financeira que se arrasta há anos. Embora o Graças seja uma instituição privada, realiza atendimentos pelo SUS. Há dois anos a Prefeitura vem apontando aspectos a serem corrigidos e tentando auxiliar a gestora do hospital, a Associação Beneciente Canoas (ABC). Diante da dificuldade de avanço, o Município recorreu ao Ministério Público, onde estão sendo discutidas soluções para evitar o fechamento do hospital.