Foto: Polícia Civil/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (14)  Operação Arrieta. Dois homens suspeitos de sequestarem uma empresária de Porto Alegre foram presos. A vítima foi feita refém por 18 horas e os criminosos ligaram para a família pedindo resgate de R$ 300 mil.

Segundo a investigação, um dos presos usava tornozeleira eletrônica e ocultava o sinal do aparelho com papel alumínio. O próprio sistema da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) identificou que o sinal era bloqueado, mas a polícia conseguiu localizar o homem e monitorá-lo à distância. A investigação ainda busca identificar um terceiro suspeito.

Papel alumínio utilizado pelos criminosos para enrolar a tornozeleira foi encontrado pelos policiais (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

O crime

O sequestro começou no dia 28 de janeiro, quando criminosos se passaram por clientes e marcaram um encontro com a vítima e familiares dela, que tinham uma sala comercial disponível para aluguel em Porto Alegre. Quando foram visitar o imóvel, eles anunciaram o crime e levaram a mulher e familiares até a casa onde moravam.

Da residência, foram roubados diversos pertences que foram recuperados pela Polícia Civil. Depois disso, os criminosos voltaram para a sala comercial e deixaram a mãe e o marido da empresária amarrados, junto com uma criança, filha da vítima. A mulher foi levada como refém.

Os objetos levados da residência foram encontrados no cativeiro (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A partir disso, os bandidos passaram a exigir R$ 300 mil como resgate, enquanto mantinham a mulher em um cativeiro na cidade de Portão. Mesmo sem o pagamento, a vítima foi solta no dia seguinte, ao meio-dia, no centro da Capital. A polícia ainda não conseguiu identificar o motivo para libertação.

Operação

A ação da 1ª Delegacia de Repressão a Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) mobilizou 40 policiais. Os dois presos foram encontrados em casa, nas cidades de Esteio e em São Leopoldo.

Além das duas prisões, a polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão em Sapucaia do Sul e Portão, onde foi identificado o cativeiro. Diversos pertences levados da casa da vítima foram recuperados, como televisão, notebook, violão e cafeteira. Também foram apreendidos celulares, quatro veículos, uma pistola e uma arma falsa.