Foto: JL Balestrin/ GBC

Da redação | Com o transporte coletivo não funcionando nesta terça-feira (1), os usuários do serviço de Nova Santa Rita são os mais prejudicados. O impasse envolvendo prefeitura e Câmara de Vereadores sobre uma dívida contraída pela concessionária fez com que os ônibus não circulassem.

Vereadores pedem que prefeitura corte gastos “na carne” para pagar dívida

Jenifer e Alexandro aguardavam há mais de três horas pelo coletivo quando foram abordados pela equipe de Agência GBC. O casal, que mora no bairro Sanga Funda, reclamou da falta de informação sobre a paralisação.

“Ficamos sabendo há pouco pouco que não tinha transporte. Ninguém avisou, e dependemos do ônibus. Estou grávida de cinco meses. Temos que ir de ônibus até Canoas e pegar outro para voltar casa”, reclamou Jenifer.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A dona de casa Elci da Costa também é outra dependente do transporte coletivo. Ela estava na parada de ônibus com uma colega de curso, a doméstica Rosângela de Matos. Elci lamentou o episódio envolvendo o impasse do serviço. “Temos curso e precisamos voltar para casa. Dá para voltar de táxi, mas aí tem que ter dinheiro. Eles devem tomar uma atitude, ninguém aguenta mais”.

Rosângela compartilhou o descontentamento. Ela revelou que em um dia, chega a pegar quatro ônibus, dois de manhã e dois à tarde. A moradora do Berto Círio, que pretendia pegar o ViaNova ou até mesmo um Uber, cobra uma solução dos envolvidos.

“Acho um absurdo ficar sem transporte. Ninguém Nova Santa Rita chegou a esse ponto. Já tivemos greves, mas nos horários de pico tinha ônibus”.