Santa Maria - Vigília com centenas de pessoas durante a madrugada desta segunda-feira em frente à Boate Kiss, em Santa Maria (RS), marca a data de um ano da tragédia. No ato organizado pelo grupo Luto à Luta pessoas pintaram 242 corpos na rua, além de acender velas e tocar sirenes em lembrança ao dia 27 de janeiro de 2013.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Da redação | Os acusados pelo incêndio na Boate Kiss serão julgados em março e abril de 2020. A decisão do juiz Ulysses Louzada, da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, foi publicada na última segunda-feira (14).

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

No dia 16 de março, irão a julgamento: Marcelo de Jesus – integrante da banda que se apresentava no dia do incêndio – e Mauro Hoffmann que era sócio da boate. Em 27 de abril, serão julgados o segundo sócio, Elissandro Spohr e o músico Luciano Bonilha.

Os julgamentos ocorrerão em Santa Maria. O sorteio dos jurados para o primeiro julgamento ocorrerá em 4 de fevereiro de 2020, às 14h. Já para o segundo júri, serão sorteados em 4 de março, também às 14h.

Cada parte deve ter apresentar cinco testemunhas. E quanto ao número de vítimas a serem ouvidas durante o julgamento, o magistrado fixou também em cinco convocadas pelo Ministério Público, cinco para a assistência de acusação e cinco para cada um dos réus.

O incêndio ocorreu em 27 de janeiro de 2013, durante uma festa na boate. Morreram 242 pessoas e 636 ficaram feridas. Por isso, os réus responderão pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e emprego de fogo, asfixia ou outro meio insidioso ou cruel que possa resultar perigo comum, consumado 242 vezes e tentado 636 vezes.