Foto: Denise Costa/ Divulgação

Por volta do meio-dia desta segunda-feira (20), um incêndio atingiu uma área rural de Sapucaia do Sul, próximo ao limite com Gravataí. Os focos se espalharam por algumas propriedades. O sítio da ONG Amigos do Floppy foi um dos locais atingidos.

Conforme a dona do local, Denise Costa, a entidade é formada por voluntários, e abriga 300 cães, 33 filhotes, dois cavalos e dois porcos. Segundo ela, os animais são resgatados em situação de vulnerabilidade, tratados na ONG e colocados para adoção.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Porém, nessa segunda-feira, um susto marcou o dia no sítio da ONG. O fogo chegou até o terreno da propriedade. Temendo o pior por causa do deslocamento demorado dos bombeiros, a comunidade se mobilizou para apagar o incêndio.

“Nossos amigos e vizinhos ajudaram a apagar fogo com baldes d’água. Quando os bombeiros chegaram, já não tinha fogo alto. Eles não quiseram jogar água onde tinha queimado. Esperamos duas horas pelos bombeiros” explica Denise.

O Corpo de Bombeiros se perdeu no caminho, devido ao difícil acesso. “Eles ficaram sem internet. Com a ajuda da Guarda Municipal, fomos procurá-los. Estavam já na parte que é pertence a São Leopoldo”, conta Rudy Caneppelle, um dos voluntários do sítio.

Como havia apenas fumaça, os bombeiros optaram por não gastar água. Apesar do sinistro, não houve danos materiais, nem animais feridos. “Com o trabalho da comunidade, conseguimos evitar que o fogo chegasse aos canis”, conclui Denise.

Três pessoas que ajudaram no controle das chamas inalaram gás, e estavam em observação durante a tarde. Além da água, extintores também foram usados para evitar que o fogo continuasse.

“Uma tragédia que foi evitada. O fogo se estendeu por cerca de dois hectares, rodeou alguns canis e o galpão onde estão alojados muitas crias de filhotes e cães adultos”, revela Rudy.

População pode ajudar o sítio ONG Amigos do Floppy

De acordo com Denise Costa, a ONG gasta 75 quilos de ração por dia, fora a alimentação para filhotes, cavalos e porcos. “Todos os animais retirados de maus-tratos são tratados e depois aguardam um novo lar”, comenta.

De acordo com a voluntária, Sapucaia do Sul carece de políticas públicas voltadas aos animais. Por isso, ela pede ajuda da comunidade com rações, valores para pagar castrações e material de limpeza. “Trabalhamos de forma voluntária”, define.

Os números de WhatsApp a seguir foram colocados a disposição para informações sobre a ONG. (51) 9 8922.7996 e 9 9141.51116, com Rudy ou Denise.