Foto: Vinícius Thormann

Canoas inaugurou nesta quinta-feira (13) o segundo hospital de campanha para atendimento de casos confirmados e suspeitos do novo coronavírus. A estrutura foi construída pela prefeitura, ao lado da UPA Boqueirão.

O espaço conta com 10 leitos clínicos e dois de UTI, respiradores, duas salas de triagem, quatro consultórios, sala vermelha, enfermaria, vestiários e banheiros. O atendimento ocorrerá 24 horas, todos os dias da semana.

Trata-se do segundo hospital de campanha inaugurado pela prefeitura para o enfrentamento à pandemia do coronavírus. O primeiro foi aberto ao lado da UPA Rio Branco, há cerca de um mês, e já realizou mais de mil consultas.

Canoas é referência regional para internações de pacientes com coronavírus. Inicialmente, os hospitais de campanha teriam 679 leitos para pacientes com Covid-19. Entretanto, foram garantidos 932 novos leitos, sendo 44 em UTIs.

A Prefeitura de Canoas também realizou a contratação de 200 profissionais da saúde, entre médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos e outros, para reforçar o combate à pandemia de coronavírus no município.

O prefeito Luiz Carlos Busato lembrou da importância dos leitos e dos profissionais da saúde no enfrentamento da Covid-19. “Cada leito que inauguramos é a certeza que um cidadão terá atendimento rápido, digno e qualificado. Para isso, precisamos não só das estruturas hospitalares, mas também destes grandes guerreiros, que são os profissionais da saúde. Vocês têm feito um trabalho muito bonito e dedicado. Muito obrigado”, disse. 

Segundo o secretário da Saúde, Fernando Ritter, o hospital de campanha está preparado para dar suporte aos cidadãos infectados pelo vírus, desde da triagem até a internação, se necessária. Caso haja uma grande demanda de pacientes com Covid-19 em seu estágio mais avançado, o Hospital Universitário (HU), referência no tratamento da doença, está pronto para atendê-los.

Ritter garantiu, ainda, que a separação entre a UPA Rio Branco e o hospital de campanha assegura a continuidade no atendimento aos indivíduos com outras necessidades básicas, sem que haja proliferação do coronavírus.