Foto: Reprodução

O Palácio Piratini deve anunciar na tarde desta sexta-feira (3) a atualização do distanciamento controlado. Canoas está na bandeira vermelha, mas pode chegar na preta. A alteração se dá por causa do bloqueio de novas internações, o número de casos e a ocupação de leitos de UTI.

Na última quinta-feira (2), a reportagem de Agência GBC apurou que Eduardo Leite não descarta a bandeira preta na região. Ele afirmou que tem observado em Porto Alegre e na Região Metropolitana um “crescimento persistente” em casos de coronavírus e internações nos leitos de UTI. “A região, especialmente Porto Alegre, é estruturante para o sistema de saúde do Rio Grande do Sul. Boa parte dos leitos, que atendem o todo como um todo, está na Capital”, explicou.

Leite enfatizou a necessidade de respeito aos protocolos do distanciamento controlado do governo estadual, a fim de evitar mais restrições. Ele não descartou bandeira preta para a região, se a mesma tiver a situação agravada. “Se essa região tiver problemas, o Estado todo vai ter problemas. Contamos com a colaboração de todos, especialmente na região metropolitana. Se for o caso, dependendo do que os indicadores apresentarem, poderá haver migração para bandeira preta”, disse.

A medida também atingirá Cachoeirinha, Esteio, Nova Santa Rita e Sapucaia do Sul.