Foto: Reprodução

A funcionária abordada por João Alberto Silveira Freitas que aparece nas imagens do espancamento prestou depoimento como testemunha no caso da morte do homem agredido por dois seguranças do Carrefour na última quinta-feira (19). O caso ocorreu no Carrefour da Avenida Plínio Brasil Milano, em Porto Alegre.

Para os investigadores, ela relatou que estava em frente ao caixa, ao lado de um dos seguranças presos pelo crime, Magno Borges Braz, quando o cliente, na companhia da mulher, Milena, passou a encará-la. A funcionária contou que o cliente deixou mulher no caixa, passando as compras, e veio em direção a ela, que se esquivou. A funcionária afirmou que o homem disse algo, que ela não entendeu devido ao barulho e ao fato de Beto estar usando máscara.

Leia mais:

Sob aplausos e pedidos de justiça, corpo de homem morto no Carrefour é enterrado

Segundo a testemunha, Beto se aproximou novamente e fez um gesto, que a mulher não soube descrever. Para a funcionária, Beto não aparentava estar fazendo uma brincadeira quando gesticulou em direção a ela, mas que “parecia estar furioso com alguma coisa”.

Conforme a delegada Roberta Bertoldo, que investiga o caso, a mulher poderá ser indiciada pelo crime. Um dos enquadramentos pode ser o de omissão de socorro.