Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma das vítimas do terapeuta holístico preso pela segunda vez em Canoas, na última sexta-feira (4), além de ter sido estuprada, confirmou que deu R$ 25 mil entre cursos e terapias. Ele foi pego, mais uma vez, pelos agentes da Delegacia da Mulher.

O terapeuta holístico é acusado de estuprar, pelo menos, 10 pacientes. Segundo a investigação, os abusos aconteciam durante as consultas.

 A delegada Clarissa Demartini começou a apurar o abuso sexual de duas mulheres durante as sessões de terapia. Após a prisão, em 29 de junho, 10 vítimas prestaram depoimento contra o suspeito. “Foi uma investigação bastante complexa, pois a prova testemunhal sempre vinha carregada de emoção” destacou a delegada.

Em outubro, o terapeuta foi solto pela justiça. Ele passou a usar tornozeleira eletrônica. Porém, ele retornou para a prisão após o Ministério Público (MP) recorrer por entender que havia riscos de possíveis novos casos e de coação das vítimas.

 “Esta investigação possibilitou que interrompêssemos a violência que estava acontecendo há anos. Foram dez mulheres identificadas, mas estimamos que outras possam ter sido vítimas dos atos deste terapeuta, que, por vergonha, permanecem no anonimato”, comentou o diretor da 2ª Delegacia Regional Metropolitana, delegado Mario Souza.