Foto: Pablo Reis/Prefeitura de Canoas

Os 50 pacientes dos Hospitais de Rondônia que chegarão ao Rio Grande do Sul na próxima terça-feira (26), não estão internados em estado grave, segundo informações do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves. Atualmente os hospitais do Estado estão lotados e enfrentam a falta de leitos e médicos para atender o agravamento da pandemia.

Segundo o prefeito, essa transferência de hospitais vai ajudar a liberar equipes de saúde para que pacientes com os casos mais graves de coronavírus possam ser atendidos. “Estamos sem vagas para internação, especialmente em UTIs. Os pacientes mais graves, diferentemente da primeira onda, quando levavam de oito a 10 dias para se agravarem, hoje estão se agravando mais rapidamente. E isso coloca a rede de saúde sob um estresse. Isso tem contribuído para esse colapso e dificuldade de internação”, comentou o chefe do Executivo de Porto Velho, em entrevista a Rádio Gaúcha.

Dos pacientes que estão vindo para o RS, a Secretaria Estadual de Saúde fará a seguinte divisão: 20 ficarão no Hospital Universitário de Canoas (HU) e 30 serão divididos em hospitais de Porto Alegre.