Foto: 1º sargento Roberto Czremeta, do 3º Regimento de Cavalaria de Guarda/divulgação.

O Exército Brasileiro informou através de nota que os militares mortos durante a detonação de explosivos em Guaporé, na Serra, nesta quinta-feira (8) são o 1º sargento Roberto Czremeta, do 3º Regimento de Cavalaria de Guarda, e o 3º sargento Diego Piedade de Souza, do 3º Batalhão de Comunicações. Um funcionário da pedreira também morreu no local. Ele era Irineu Ghiggi, de 60 anos.

Receba as notícias pelo WhatsApp

Conforme a empresa, Ghiggi trabalhava no grupo há mais de 20 anos. Ele deixa esposa e dois filhos. “Um profissional de excelência reconhecida e deixa uma lacuna irreparável para a Britagem Mig Britas”, elogia a nota. 

O Instituto Geral de Perícias (IGP), segue investigando o local com peritos criminais e técnicos em perícia da 2ª Coordenadoria Regional de Perícias. “O objetivo da perícia é identificar os explosivos que causaram o acidente e determinar o raio de projeção dos estilhaços. As três vítimas – dois militares e um civil – estão sendo levadas para necropsia, que será feita no Posto Médico-Legal do IGP em Passo Fundo”, informou também através de nota o órgão.

Entenda o caso

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (8) a Operação Explosive. Ao longo de seis meses de investigação, os policiais comprovaram que uma empresa, atuante no ramo de terraplanagem, adquiria artefatos explosivos em quantidade maior do que a necessária para a obra. Eles eram armazenados e utilizados mais tarde em outros projetos de forma irregular, o que reduzia custos com frete e escolta, além de não prestar informações sobre as novas explosões como prevê a lei.

Duas pessoas foram presas. Foram apreendidos, aproximadamente, 740kg de artefatos explosivos, além de armas. Uma ação conjunta entre a Polícia Civil e o Exército Brasileiro ia detonar todo esse material. Porém, durante o descarte, os três participantes da ofensiva perderam a vida com a explosão e cinco ficaram feridos.

Nota do Exército Brasileiro na íntegra

 “O Comando Militar do Sul (CMS) lamenta informar que, na tarde de hoje, durante uma operação destinada à destruição de explosivos apreendidos, ocorreu um acidente, em uma pedreira situada no município de Guaporé – RS, que resultou no falecimento do 1º Sargento Roberto Czremeta (3º Regimento de Cavalaria de Guarda), do 3º Sargento Diego Piedade de Souza (3º Batalhão de Comunicações) e do Senhor Irineu Ghiggi (da empresa Britagem Mig Britas). Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para apurar as circunstâncias do fato. Neste momento de tristeza e pesar, o Exército Brasileiro, por intermédio do Comando Militar do Sul, presta condolências aos familiares e amigos enlutados.”

Nota da Empresa na íntegra

“Em decorrência do trágico incidente ocorrido na tarde desta quinta-feira (8/7) em Guaporé, a Britagem Mig Britas manifesta seu mais profundo pesar pela perda do funcionário Irineu Ghiggi, 60 anos.

Irineu integrava os quadros da empresa há mais de duas décadas, era um profissional de excelência reconhecida e deixa uma lacuna irreparável para a Britagem Mig Britas. Aos colegas e à família de Irineu, que deixa esposa e dois filhos, com quem compartilhamos esse momento de dor e perda, todo nosso apoio e solidariedade.

Cabe esclarecer, ainda, que a empresa não era alvo da operação policial que realizou a apreensão de materiais explosivos. A Britagem MigBritas tão somente teve uma área da pedreira requisitada pelo Exército Brasileiro para detonação do material recolhido, por ser o local mais próximo com área viável para o procedimento. Os militares envolvidos conduziram e executaram toda a ação de preparação e detonação do material, solicitando apenas o acompanhamento de um funcionário no momento.

A Britagem MigBritas também manifesta seu profundo pesar pela morte de dois militares no incidente e sua plena disposição a colaborar de todas as formas para investigações que venham a ser conduzidas pelas autoridades competentes.

Rodrigo Migliavacca -Diretor”