Foto: Prefeitura de Nova Santa Rita/Divulgação

Siga a Agência GBC no Instagram

Um atendimento atípico na madrugada desta terça-feira (21) mobilizou e surpreendeu os profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (PA) de Nova Santa Rita. Uma mulher que chegou ao local já em trabalho de parto e deu à luz um menino, cerca de uma hora após buscar auxílio.

Depois do atendimento, o pequeno Arthur e a mãe Tamara Silva dos Santos, 21 anos, foram transferidos para o Hospital Municipal de Canoas (HMC) e passam bem. É a terceira vez que um parto é registrado no espaço. De acordo com a enfermeira Fernanda Marques, ela deu entrada na unidade de saúde por volta da 00h30min, com 38 semanas de gestação.

A paciente, que já tem um filho, chegou acompanhada do seu pai e também do marido, relatando fortes contrações e que não conseguiria chegar a tempo no hospital referência, uma vez que em Nova Santa Rita não há estrutura para parto. “Quando a acolhemos, disse que procurou o HMC na manhã do dia 20, quando foi mandada embora por não estar em trabalho de parto verdadeiro”, conta.

Tamara, que já é mãe de uma criança, foi imediatamente avaliada pela equipe médica e de enfermagem, sendo conduzida para a Sala vermelha. “Examinada, foi visto que não haveria tempo de encaminhá-la para ambiente hospitalar pelo fato do bebê já estar ‘coroando’ (aparecendo) e, então, se iniciou os procedimentos de parto”.

O nascimento ocorreu de forma humanizada, em uma sala aquecida e com todo material organizado em caso de qualquer intercorrência. “O pai permaneceu ao lado dela, o tempo todo, e teve a honra de cortar o cordão umbilical, auxiliado pela médica Bruna Cerqueira. Em seguida, o bebê foi colocado imediatamente no contato pele a pele com a mãe”, relata Fernanda. A enfermeira acrescenta que Arthur nasceu, à uma hora e um minuto da madrugada. “A maior protagonista é a própria Tamara. Nós fomos apenas anjos do bem, auxiliando-a em tudo o que nos cabia”.

Em seguida, foi transferido, junto com a mãe, para o hospital referência em perfeitas condições de saúde. “Fui muito bem recebida, acolhida e tratada pela equipe do PA. Só tenho a agradecer por cada profissional que não me deixou desassistida. Graças à Deus estou bem, assim como meu filho”, enaltece a paciente.