17.5 C
Canoas
21 de julho de 2024

Vídeo mostra mãe entrando em banheiro de prédio para descartar corpo de filha recém-nascida em Canoas

Conforme mostram as imagens, a mulher, que já está presa, aparece carregando uma bolsa em que dentro estaria o corpo da filha

Nesta terça-feira (25), a Polícia Civil divulgou um vídeo que mostra a mulher acusada de matar a própria filha recém-nascida, em Canoas. As imagens foram registradas dentro de um prédio comercial nas margens da BR-116.

O vídeo revela a mulher indo em direção ao banheiro do prédio e deixando o corpo da bebê em uma lixeira.

Conforme mostram as imagens, a mulher, que foi presa na última segunda-feira (24), aparece carregando uma bolsa. Dentro dessa bolsa, estaria o corpo da bebê. Ela entra no banheiro às 9h47 e sai às 9h52, permanecendo dentro do local por cinco minutos.

Bebê foi asfixiada

De acordo com o delegado Arthur Reguse, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Canoas, a mulher teria asfixiado a criança até a morte com uma fita colada entre a boca e o nariz.

“A mulher fez o parto em casa. Desde a casa dela, a menina foi escondida morta em uma bolsa. Ao entrar no banheiro feminino, ela oculta o cadáver no cesto de lixo e sai do banheiro”, afirma Reguse.

Os policiais apuraram que o parto teria ocorrido na noite do último domingo (23) na casa da presa. No local, os policiais encontraram muitas manchas de sangue em roupas e lençóis.

“Informalmente, ela confessou o crime”, destaca o delegado.

A mulher que tem outros dois filhos deverá responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ela foi encaminhada para o sistema prisional.

Foi amamentada

De acordo com Reguse, a suspeita é que entre o nascimento e o homicídio, a criança tenha vivido por cerca de 10 horas. Nesse período, a mulher ainda teria amamentado a criança.

“Ela nasceu com vida, respirou e foi amamentada pela mãe. A mãe então arquitetou essa situação para se desfazer da criança recém-nascida”, comenta Reguse.

Entenda o caso

De acordo com a Brigada Militar (BM), o bebê foi encontrado por seguranças do local que ligaram para o 190. Inicialmente, a informação era de que um feto teria sido colocado em uma lata de lixo. Porém, ao chegarem no local, os policiais constataram que se tratava de uma criança.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!