Ministro Carlos Marun concede entrevista após reunião, no Palácio do Planalto, com o presidente Michel Temer e ministros que integram o gabinete de crise, para avaliar a situação nas rodovias federais.

FOTO: Valter Campanato/Agência Brasil

Agência Brasil | Em entrevista coletiva concedida há pouco, o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, afirmou que alguns inquéritos abertos trouxeram bases sólidas para pedidos de prisão. Ele apelou para que os manifestantes cessem o movimento em nome da população. “Retomem suas atividades”, pediu.

Marun sinalizou que o governo federal trabalha com a hipótese de contratar temporários para manter a produção nacional. Acrescentou, porém, que o objetivo é que todos retornem ao trabalho.

O ministro reiterou que “o diálogo não está interrompido”. Segundo ele, mais avanços dependem de tempo para buscar soluções e alternativas. Ao ser questionado sobre a existência de uma minoria radical, Marun disse que vários trabalhadores foram constrangidos para que não retornassem ao trabalho.