Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | A defesa de Igor Rafael Schonberger, 24 anos, condenado a sete anos e 11 meses de prisão por atear fogo na namorada, conseguiu nesta semana liminar para que ele cumpra a pena em regime semiaberto.

O rapaz foi condenado por homicídio privilegiado e qualificado, que não é considerado hediondo pela Constituição, permitindo que a pena seja cumprida no semiaberto.

A decisão é do desembargador José Antônio Cidade Pitrez.

O acusado está atualmente preso na Cadeia Pública de Porto Alegre desde fevereiro.

O crime ocorreu em novembro de 2016, quando ele teria envenenado e ateado fogo em Bárbara Hoelscher, 26, em uma residência, em Lindolfo Collor, no Vale do Sinos. A vítima teve quase a metade do corpo queimado.