Foto: Jaime Zanatta/GBC

“Não estamos lutando pela empresa”, essa é a firmação do presidente do Sindicato dos Rodoviários de Canoas, Marcelo Nunes, sobre a o Projeto de Lei 64/2019 que será votado na próxima sexta-feira (20) na Câmara de Vereadores. De autoria do Executivo, o PL sugere a renovação do contrato com a Sogal por mais 10 anos.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Desde que o processo licitatório foi lançado, o sindicato vem buscando explicações sobre o que aconteceria com os trabalhadores caso a Sogal parasse de explorar o transporte coletivo municipal. “Ninguém nos deu garantia do que aconteceria com a garantia. Imagina, são mais de R$ 40 milhões de indenização que ninguém respondeu como os funcionários iriam receber”, comenta Marcelo.

Leia mais:

Ministério Público recomenda que contrato com a Sogal em Canoas seja renovado até 2028

Prefeitura de Canoas diz que é contra parar a licitação do transporte, mas que vai atender recomendação do MP

Contrato com a Sogal, em Canoas, deverá ser renovado por mais 10 anos

Além disso, a entidade que representa a categoria, relata que haveria uma demissão em massa que atingiria mais de mil funcionários. “Não estamos lutando pela empresa. Estamos defendendo os empregos e também a população. Imagina ficar sem ônibus? O impacto que isso ia causar no usuário”, diz Marcelo.

Não é de hoje que funcionários da Sogal reclamam de pagamento. Alguns relatam atrasos no FGTS e no pagamento de férias. “Essa decisão de apoiar a renovação foi tomada em assembléia. Combinamos com a empresa que ela colocará esses pagamentos em dia no próximo ano. O sindicato vai cobrar”, reforça Marcelo.

Caso o PL seja aprovado, Marcelo não titubeia em afirmar que “o trabalhador vai começar 2020 feliz”.