Foto: Jaime Zanatta/GBC

Com a flexibilização decretada pelo governador Eduardo Leite, o comércio de Canoas voltou a abrir ao público após semanas de angústia para o empresariado local.

Quem foi até o calçadão do centro da cidade nesta quarta-feira (05) notou um intenso fluxo de pessoas, apesar do cenário pandêmico devido ao coronavírus. Para ingressar das lojas e nos ônibus, havia fila. Situações como essa colocam em cheque os protocolos de saúde, diante da pandemia.

O vendedor Paulo de Abreu, de uma loja de eletrônicos, tem esperança que o setor consiga se recuperar em parte pelo menos. “Desde que abriu tem bastante gente passando por aqui. Inclusive, comprando. Quem sabe a gente consiga reaver um pouco desse prejuízo”, disse.

Teve gente que foi pega de surpresa com a quantidade de pessoas circulando pela cidade. Foi o caso da aposentada Carmem Oliveira. “Eu não sabia que hoje abria tudo. Eu tinha médico e quando cheguei aqui vi toda essa gente”, contou.

Com a proximidade do Dia dos Pais, o comércio viu uma possibilidade de amenizar os prejuízos. A professora Fabiane da Cruz aproveitou a liberação das lojas para adquirir presente.“Aproveitei que abriu e eu tinha que pagar conta para comprar o presente do meu pai”, comentou.

Foto: Jaime Zanatta/GBC

Entenda o decreto

O Gabinete de Crise do Governo do Estado decidiu, na tarde desta terça-feira (04), mudar os protocolos impostos pela bandeira vermelha, que classifica as regiões como de alto risco epidemiológico para o coronavírus. As mudanças valerão a partir desta quarta-feira (05), a partir da publicação de um decreto. A decisão permitirá a abertura do comércio varejista não essencial, localizado em ruas, centros comerciais e shoppings, e o funcionamento de restaurantes.

“Como identificamos estabilização na demanda por internações em UTIs, ainda que em patamar elevado, para pacientes com Covid-19, decidimos alterar algumas regras a fim de estimular a economia do Estado”, disse o governador Eduardo Leite. As mudanças foram debatidas e validadas em reunião com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e com as 27 associações regionais durante reunião na manhã dessa terça-feira.

PROTOCOLOS DE BANDEIRA VERMELHA

Comércio varejista não essencial (rua, centros comerciais e shoppings)
• Permite 25% trabalhadores (somente para estabelecimentos com mais de três trabalhadores).
• Respeito ao teto de ocupação (número máximo de pessoas conforme área do estabelecimento).
• Abertura exclusiva de quarta-feira a sábado, em horário reduzido, das 10h às 16h, para não coincidir com a movimentação de serviços essenciais.

Restaurantes
• Atendimento presencial restrito passa a ser permitido na bandeira vermelha, com dias e horários reduzidos e reforço dos protocolos obrigatórios.
• Aviso visível aos frequentadores sobre a lotação máxima nas bandeiras amarela, laranja e vermelha, para reforçar distanciamento mínimo. Na bandeira amarela, a lotação máxima é de 75%. Na bandeira laranja, é de 50%. Na bandeira vermelha, passa para 50% de trabalhadores e 25% de lotação, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.
• As modalidades de tele-entrega, drive-thru e pague e leve seguem permitidas durante todos os dias da semana.
• Restaurantes que se localizam em shoppings também estão inclusos na alteração.