Foto: Palácio Piratini/Reprodução

O Governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), aceitou o convite proposto pelos seus colegas de partido para ser pré-candidato à Presidência da República em 2022, durante almoço no Palácio Piratini, em Porto Alegre, nesta quinta-feira (11).

“Aceitei essa missão de levar essa experiência nas boas conversas que teremos Brasil afora”, afirmou Leite.

O objetivo da campanha é um contraponto às pretensões do Governador do Estado de São Paulo, João Dória, pois a Bancada Federal do PSDB considerou desleal e precipitada a ideia do governador paulista de assumir a presidência da sigla.

“Fizemos um chamamento para que Eduardo Leite ande pelo país, se apresente mais em Brasília. Ele pode se apresentar como personagem nacional e se colocar como pré-candidato à Presidência. É, de longe, quem conta com a maior simpatia da bancada na Câmara e no Senado”, colocou o deputado Paulo Abi-Ackel, presidente do diretório tucano em Minas Gerais.

Durante as conversas Eduardo Leite tentou tirar o foco de uma possível revanche ao Dória, porém, apontou que há a necessidade de fazer conciliações e não descarta intenções de concorrer à presidência futuramente.

“Presidência é destino, circunstância. O meu papel é ajudar. Tem uma forma de fazer política que precisa ser recuperado, focando em resultados que melhorem a vida da população e não em conflitos estéreis. O que se dá a largada aqui não é a uma candidatura. Não é o lançamento de um nome, mas sim de um movimento dentro do partido. A definição de quem vai liderá-lo é para o momento apropriado, mais à frente”, afirmou Leite.