Foto: Reprodução

Em Live realizada no final da tarde desta segunda-feira (22), o Governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, comentou sobre a questão dos ônibus serem um grande fator que aumenta as aglomerações. Eduardo Leite admite que, na questão do transporte coletivo, há muitas dificuldades de diminuir as aglomerações.

Segundo o Governador, a única hipótese para que não haja aglomerações seria a de não ter atividades que geram aglomerações. “Os ônibus e trens são meios de transporte e não há como dispor de volume de meio de transporte suficiente para que se tivesse o distanciamento que se desejaria nesses veículos”, coloca o governador.

Leite admite que as aglomerações nos transportes coletivos é uma situação que acaba sendo indesejada, mas inevitável mediante as necessidades econômicas que estão acontecendo no Estado. “Por isso a gente acaba reforçando a demanda de que todos usem a máscara, ao máximo evitem contatos e que possam, consigo, carregar álcool gel e que possam higienizar suas mãos, especialmente depois de ter tocado em áreas que são de grande fluxo”, lamenta.

Segundo o Governador, não tem como viabilizar, no transporte coletivo, uma situação de menor ocupação. “Já tem uma dificuldade de sustentabilidade econômica financeira dessa atividade em função da queda do número e passageiros do ano passado para cá. As empresas já estão operando um numero menor do que já era antes da pandemia e menos ainda se consegue viabilizar o aumento da frota”, afirma o governador.