Foto: Ministério Público/Divulgação

Siga a Agência GBC no Instagram

A Brigada Militar (BM) e o Ministério Público (MP) deflagraram na manhã desta sexta-feira (5) a Operação Retomada. Os alvos são criminosos que expulsavam moradores de apartamentos do Minha Casa Minha Vida para transformar os imóveis em ‘bocas de fumo’.

Foram cumpridas 67 ordens judiciais, sendo 40 mandados de busca e apreensão e 17 de prisão. Mais de 260 agentes estão nas cidades de Canoas, Charqueadas, Nova Santa Rita, Osório e Santo Antônio da Patrulha.

Até o momento, 20 criminosos foram presos. Foram apreendidos celulares, armas, drogas, munição e anotações com contabilidade do tráfico nos apartamentos.

O promotor de Justiça João Afonso Silva Beltrame, coordenador do Gaeco, justifica as prisões dizendo que “os requisitos necessários para o decreto de prisão estão presentes, uma vez que a associação dos investigados fomenta o tráfico de drogas na região, podendo inclusive gerar outros delitos autônomos como furtos e roubos praticados por usuários de entorpecentes, a fim de continuar sustendo o vício, gerando, assim, um grave abalo à ordem pública local”. Para Beltrame, “a adoção dessa medida extrema é a única forma de desarticular a associação criminosa desvelada e garantir o bom andamento da marcha processual”.

Investigação

O MP apurou que traficantes de Canoas e Nova Santa Rita foram até um condomínio habitacional de Santo Antônio da Patrulha. Lá, eles expulsaram 20 moradores para usar os apartamentos como depósito de armas e de entorpecentes, além de transformar os locais em ‘bocas de fumo’.

A investigação também apontou que os líderes do esquema estão recolhidos no sistema prisional. Eles estão cumprindo pena por outros crimes nas penitenciárias moduladas de Charqueadas e Osório.

nas penitenciárias moduladas de Osório e de Charqueadas, onde estão os líderes do esquema criminoso, e ainda nas cidades de Canoas e Nova Santa Rita, de onde é o grupo que ocupou o residencial do Minha Casa Minha Vida.

Conforme o comandante do 8° Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), major Fábio Hax Duro, o nome da operação remete ao objetivo da Brigada Militar e do MPRS de resgatar a tranquilidade de moradia para inúmeras famílias da área. “Realizamos um trabalho intenso com Inteligência e ações efetivas, que vêm dando resultados, há quatro meses, para o combate ao tráfico nesse local e a outros crimes associados a ele, promovendo, por consequência, a possibilidade de famílias retomarem uma vida segura no residencial”, declarou o major Hax.