Foto: Jaime Zanatta/GBC

O Instituto Geral de Perícias (IGP) fez na manhã desta terça-feira (3) uma perícia no local onde um homem de 43 anos morava no bairro Fátima, em Canoas. Ali, ele matou pelo menos um homem, mas pode ter feito mais vítimas. Os trabalhos foram acompanhados pelos investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Canoas. No imóvel, foram encontradas manchas de sangue nas paredes.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

O preso até o momento não confessou nenhum crime. No terreno na Avenida Guilherme Schell, foi encontrado o corpo de uma das vítimas. O homem, de 23 anos, foi morto com golpes de barra de ferro e depois carbonizado. Apenas o tórax e a cabeça foram encontrados no último sábado (30). Ele estava desaparecido desde o dia 23 de novembro.

Porém, no mesmo dia que encontrou o cadáver junto com o Corpo de Bombeiros, os agentes da DHPP encontraram a ossada de uma mulher que também pode ter sido vítima do homem. Testemunhas escutadas pelos investigadores relataram que o preso sempre dizia ter matado pessoas.

Com essas informações, uma nova vistoria foi feita no terreno nesta terça. Os policiais com o apoio dos bombeiros buscam por mais corpos. Até o momento, duas pernas foram encontradas e recolhidas pelo IGP.