Foto: Reprodução/ Polícia Civil/ Divulgação

A desarticulação de um esquema de tele-entrega de drogas na madrugada de sábado (20), em Canoas, representou mais uma resposta da Polícia Civil ao tráfico de drogas na Região Metropolitana de Porto Alegre. A tele-entrega que funcionava em Canoas.

O “delivery” derrubado pelos agentes da 3ª Delegacia de Polícia (3ª DP) da cidade tinha um funcionamento sofisticado: um cardápio virtual com tipos, valores e modelos e a possibilidade de efetuar o pagamento com cartão de crédito.

Três pessoas foram presas na ação da 3ª DP. Os policiais apreenderam mais de 1,6 mil comprimidos de ecstasy e aproximadamente 430 pontos de LSD, além de grande quantidade de matéria prima para o refino de comprimidos de ecstasy e material para embalar as drogas.

A operação, denominada “Delivery”, foi deflagrada após investigações sobre entregas de drogas na Região Metropolitana, mesmo a polícia tendo respondido com a prisão em flagrante de diversos traficantes envolvidos no esquema de tele-entregas nos últimos dias.

No esquema derrubado pela Polícia Civil, investigado nos últimos 30 dias, as entregas também ocorriam em grandes quantidades para outros traficantes menores. Estima-se que ocorriam pelo menos 300 entregas de drogas a cada período de 30 dias.

O diferencial é que essa tele-entrega atendia principalmente outros traficantes menores de Porto Alegre, Canoas e outras cidades da região.

“Era possibilitado o pagamento no cartão de crédito para as compras e no cartão de crédito parcelado se fossem compras maiores, em regra, a partir de 50 unidades”, explicou o delegado Rodrigo Caldas.

Um dos homens que foi preso na operação é suspeito de ser o fornecedor das drogas. Na ação, que ocorreu no bairro Moinhos, dois carros, um Celta e um Onix, também foram apreendidos. Essa foi a quinta tele-entrega desarticulada em Canoas nessa semana.