Foto: divulgação/Polícia Civil.

A Polícia Civil investiga um homem suspeito de matar e tortura mais de 30 gatos no norte do Rio Grande do Sul. Em depoimento na cidade de Jóia, ele confessou que adotava animais pelas redes sociais para cometer agredir e estrangular até a morte. 

Durante a operação, realizada nesta sexta-feira (22), um filhote foi resgatado. O homem responde em liberdade por maus-tratos. Se for condenado, pode ser preso por até cinco anos. 

Receba as notícias pelo WhatsApp

A denúncia foi feita em agosto por uma ONG. A suspeita chegou após um felino, o Gato Sargento, ser devolvido pelo acusado depois que foi adotado com patas e dentes quebrados. Ele justificou que foi um acidente e que o animal teria caído da escada. A organização pagou o tratamento, de R$ 2,5 mil, através de uma vaquinha.

Para GZH, o delegado Ricardo Miron, da Delegacia Regional de Ijuí, disse que a investigação segue e não há relato de outros casos. Isso porque há suspeita de que ele tenha feito o mesmo em outros municípios, como Santa Maria, Cruz Alta, Ijuí, entre outros.