BRUNO LARA

Bruno Lara é jornalista e escreve sobre comunidade diariamente neste espaço.

CANOAS: Capacitação online e gratuita tem 2 mil vagas para jovens entre 17 e 22 anos

Mais de 600 jovens já foram beneficiados no Estado. Após o curso, estudantes serão encaminhados para vagas de emprego. As inscrições estão disponíveis no site proa.org.br.

O primeiro emprego está mais perto dos jovens gaúchos. O Instituto PROA, que promove uma capacitação on-line e gratuita para o trabalho, está com 2 mil vagas abertas no Rio Grande do Sul. O curso tem apenas três meses de duração e, depois da formatura, os estudantes são encaminhados para vagas de emprego. Mais de 600 jovens do Estado já foram beneficiados pela iniciativa. A capacitação está aberta para estudantes 17 a 22 anos, que já tenha concluído ou estejam cursando o terceiro ano do ensino médio em escolas públicas. As inscrições estão disponíveis no site: proa.org.br e podem ser realizadas até o dia 15 de janeiro. As aulas iniciam no dia 29 de janeiro.

A capacitação

Durante a formação de três meses em 100h, os estudantes aprovados no PROA realizam a formação essencial gratuita que inclui aulas de Autoconhecimento, Projeto Profissional, Raciocínio Lógico e Comunicação. Após essa primeira etapa, eles podem optar por sete trilhas com capacitações mais específicas nas áreas de Administração e Logística (elaboradas em parceria com a Procter & Gamble), Análise de Dados (com o iFood), Promoção de Marcas (com a BRF), UX Design (com a Accenture) e Varejo (com a Fundação Casas Bahia). Este ano foi incluída ainda a formação em Educação Financeira, desenvolvida em parceria com a Bloomberg e a Dahlia Capital.

Empresas e parceiros

No Rio Grande do Sul, o Instituto PROA conta com a parceria da Secretaria Estadual de Trabalho e Desenvolvimento Profissional, da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), e da Secretaria Estadual da Educação (SEDUC). Também são apoiadores da  iniciariva o Instituto Cyrela e a Fundação Casas Bahia, que, além de viabilizar a realização do curso no Estado, oferecem vagas de emprego aos formados. Outros parceiros, como Coca-Cola FEMSA, Sabemi, Adtail, GetNet, Sodexo, Auxiliadora Predial e Loggi já garantiram oportunidades de trabalho para os jovens gaúchos.

Primeiro emprego

Alice Stephany Macedo, de 18 anos, é uma das jovens que conquistou uma oportunidade de trabalho a partir da capacitação do PROA. Ela mora em Viamão com a mãe e quatro irmãos. Até então, dependiam do Bolsa de Família e de outros auxílios. Desde maio, depois que passou pelo PROA, ela concilia os estudos no 3º ano do ensino médio em uma escola pública de sua cidade com seu primeiro emprego como auxiliar de escritório na Getnet, em Porto Alegre. “Foi o PROA que me indicou para essa vaga e me ajudou com aulas de Excel, de autoconhecimento e a preparar meu currículo”, conta. Agora, Alice já sonha com os próximos passos. “Quero seguir carreira na área de RH e continuar na Getnet”, revela.

Também com 18 anos, a jovem Luiza Viegas, de Alvorada, está vendo sua vida profissional decolar a partir da formação do PROA. Atualmente, ela cursa Radiologia em uma faculdade de sua cidade. Mas, assim que passou pela formação do PROA, já garantiu uma vaga em sua área como técnica de radiologia na Unimed. “A capacitação me ajudou muito, com o autoconhecimento, com a forma de me portar na empresa, a fazer meu currículo. Um pouco antes da entrevista de emprego, tive aula justamente sobre o tema no PROA, e isso contribuiu com o meu planejamento e a mostrar meus objetivos de forma séria”, detalha. “Comecei no emprego em agosto e já auxílio e faço até alguns exames sozinha. Eu penso em me formar na área e fazer uma especialização em ressonância magnética”, conclui.

Mais de 36 mil jovens beneficiados no Brasil

O Instituto completou 16 anos de atividades em 2023 e já impactou mais de 36 mil jovens no Brasil. Além do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro disponibilizam cursos da Plataforma PROA. Em 2023, o PROA também chegou ao Paraná, alcançando toda a Região Sul do País, e Minas Gerais. Para o primeiro ciclo de 2024, os estados de Goiás e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal receberão a Plataforma PROA.

O Instituto PROA foi fundado por um grupo de empresários que compartilham o sonho de impulsionar jovens com poucas oportunidades a serem protagonistas de suas carreiras. Nasceu em São Paulo e já está presente no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina, além do Rio Grande do Sul.

O PROA oferece formações gratuitas para maximizar a chance desse público construir um futuro melhor em todo o país e tem o desejo de concretizar o seu objetivo de capacitar mais de 300 mil jovens nos próximos anos.

Vagas para empregadores

Empresas interessadas em participar da iniciativa podem se inscrever gratuitamente pelo link https://www.proa.org.br/quero-empregar/, enviando as oportunidades disponíveis ou entrando em contato com a gerente do time de Empregabilidade, Regiane Tofanello Costa, pelo e-mail: regiane.costa@proa.org.br ou pelo telefone (11) 98741-1790.

Requisitos: 
– Ter entre 17 e 22 anos;
– Morar no estado do Rio Grande do Sul;
– Estar cursando ou ter concluído o 3º ano do Ensino Médio em escola pública.
Vagas para o todo o estado do Rio Grande do Sul: 2 mil 

Serviço – Plataforma PROA
Processo seletivo até 15 de janeiro de 2024.
Início das aulas: 29 de janeiro de 2024.
Inscrições no site: https://www.proa.org.br/plataforma-proa/ 

Mais Lidas

ÚLTIMAS DE BRUNO LARA

CANOAS: Beth Colombo entra na briga para ser vice de Jairo Jorge

A ideia agora é reeditar a parceria que deu certo por anos entre Jairo Jorge, Beth Colombo e Luiz Carlos Busato.

CANOAS: Um ano após fechamento, Bruna Trufas volta a abrir lojas

Segundo a empresária, a parada foi essencial para cuidar da saúde

CANOAS: Rodrigo Busato pode compor chapa com Jairo Jorge 

Embora as equipes não admitam, segundo apurado pela coluna, pessoas próximas garantem que Jairo Jorge e Rodrigo estarão juntos, trabalhando pela mesma chapa

PORTO ALEGRE: Vereador cria projeto para zerar tarifa do transporte coletivo

A proposta é financiar o programa com uma Taxa de Mobilidade Urbana (TMU)
error: Conteúdo protegido!