Foto: Isac Nóbrega/PR

Fábio Ostermann, Deputado Estadual do Novo na Assembleia Legislativa, protocolou na sexta-feira (10) um pedido de informações ao Governo do Estado para saber quanto custou a motociata do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Rio Grande do Sul. Segundo o parlamentar, se trata de uma manifestação política e não de um evento oficial. 

Receba as notícias de CANOAS pelo WhatsApp

Classificando a ação como um ato de campanha antecipada, o deputado questionou o mobilização. “Em São Paulo, onde ocorreu o último ato, mais de R$ 1,2 milhão em recursos públicos foram gastos. No Rio de Janeiro, o custo foi de cerca de meio milhão de reais. Esses gastos devem se repetir por aqui. Dinheiro que deixará de ser utilizado em favor dos gaúchos para patrocinar a campanha eleitoral antecipada do presidente”, argumentou nas redes sociais.

Durou pouco mais de 30 minutos a passagem do Presidente da República por Canoas, na manhã deste sábado (10). De moto, ele andou pelas BRs 116, 386 e 448. Milhares de pessoas participaram do evento. Com bandeiras, eles saudavam o presidente e gritavam ‘mito’. Em discurso para apoiadores após a motociata que passou pelas ruas de Canoas e Porto Alegre, Bolsonaro falou sobre a pandemia do coronavírus. “Tudo que falei sobre essa pandemia, eu acertei. Acertei porque não veio da minha cabeça”, disse.

Mais de 150 policiais estão nas ruas de Canoas para garantir a segurança da cidade e dos participantes do evento. Um forte esquema de segurança foi montado. Além da Brigada Militar, se juntam ao policiamento reforçado: agentes da Polícia Civil, Guarda Municipal, da Fiscalização de Trânsito e também, parte do efetivo do Corpo de Bombeiros, além da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que fizeram a segurança ao longo da rodovia.